BAIRRO-ABRIGO
Alice Duarte

Portugal

ARTISTAS

Direção
Alice Duarte


Direção musical e assistência à direção

Ana Raquel e Pedro Salvador


Assistência à direção

Zé Pedro Nunes


Sonoplastia

Noiserv


Cenografia

Pedro Jardim e Zé Pedro Nunes


Figurinos
Amores de Tóquio


Coordenação / produção
Giovanna Gosio


Apoio à produção
Clara Santiago e Inês Dias


Intérpretes

Asha e Aswan, Ana Raquel, Edgar Alfredo, Edgar Junior e Marisa, Fabrício Soares e Neto Trajano, Grupo Alebrije (Silvia Ramalho, Elena Puentes, Alheli Guerrero, Ines Mastbaum, Adriana Núñez, Carmen Ortiz, Paco Carrillo), Kumba Sebastião, Maria João Matos, Matheus, Los Mezcaleros (Sofia Soares, Erick López, Edward Balme, Jon Walford), Miguel Gonçalves, Mulheres do Baque Mulher (Amanda Medeiros, Cintia Pinheiro, Camila Andrade, Cynthia Bravo, Alba Nogueiras, Palloma Silva, Caroline F. Torres, Tatiana Lima, Laura Paredes, Tati Lima, Débora Marques, Fernanda Lira, Bruna Oliveira, Heloise Medeiros, Aline Andrade, Jessie Santos, Giulia D’Santi, Hayanne Rocha, Thays Peric, Bruna Lucena, Melissa Huart, Sofia Marques, Jéssica Soveral, Catia Sá), Noiserv, Paula Serra, Pedro Salvador, Projeto Eco (António Gonzales, Beatriz Amaral, Maria Machado, Sandra Mateus, Sara Barreira) e residentes no bairro 

Horário

dia 19 (sáb) • 15h00 às 17h00


Duração

90 min.

Exclusivo para residentes

Partilhar

Um conjunto de prédios, num conjunto de ruas, com geometria própria, com filiação. Silêncios. Planos ligeiramente inclinados, com o tempo inclinado e sem degraus, passeios estreitos, automóveis estacionados. Pessoas dentro dos prédios. Meias-vidas e vidas completas, em casas completas, ou em casas incompletas de quartos alugados. Patamares e vãos de escada. Janelas e algumas poucas varandas. Memórias estendidas, lavadas, milhares de lembranças, entrelaçadas. À soleira das portas, fechadas, na rua arena, quando os outros, estranhos, chegam. E faz-se luz e alegria, no bairro-abrigo, de gerações e de heranças, no bairro tornado centro do Mundo. No coração do bairro de Santa Engrácia. Canções e danças e palavras e vida e tudo, onde ruas sempre paralelas se unem em histórias de vida, por capricho e inspiração artística. Uma varanda escancarada relaciona musicalmente os prédios e quem lá vive, pessoas de cá e de outras paragens, próximas dos sons do Mundo, e do bairro, que se escutam. As portas dos prédios, entreabrindo-se, permitem espetáculos de música e de dança, quase invisíveis, para serem escutados e vistos, ora no interior dos prédios, e só por quem lá mora, ora pelos moradores dos prédios próximos.

Contactos

JUNHO-SETEMBRO 2020

Rua da Bica do Sapato, nº 48 Ab

1100-094 Lisboa, Portugal


SEDE PERMANENTE

Estrada de Benfica, nº 400

1º E. 1500-101 Lisboa, Portugal

Redes sociais

Newsletter

Comunidade Comunidade Comunidade Comunidade Comunidade Comunidade Comunidade
Comunidade Comunidade Comunidade Comunidade Comunidade Comunidade Comunidade