DO BARROCO AO FADO
Músicos do Tejo com Ana Quintans e Ricardo Ribeiro

Portugal

ARTISTAS

Ana Quintans - voz

Ricardo Ribeiro - voz


Miguel Amaral – guitarra portuguesa

Marco Oliveira – voz e viola de fado


Marcos Magalhães - direcção musical e harmónio


Os Músicos do Tejo

Dir. Marcos Magalhães e Marta Araújo


Violinos I: Nuno Mendes (concertino), Álvaro Pinto e Sara Llano

Violinos II: Denys Stetsenko, Raquel Cravino e Lígia Vareiro

Violas: Lúcio Studer e Pedro Braga Falcão

Violoncelo: Ana Raquel Pinheiro e Henrique Constância

Contrabaixo: Vicente Magalhães

Cravo: Marta Araújo

Oboé e flauta de bisel: Pedro Castro

Percussão: Joel Silva


Os Músicos do Tejo têm apoio da DGArtes, da Câmara Municipal de Lisboa e da Biblioteca Nacional de Portugal

Horário

dia 20 (dom) • 18h30


Local

Panteão Nacional

Morada

Campo de Santa Clara (ZONA A)

Duração

90 min. 


M/6


Acesso reservado a bilhetes pré-levantados • 0€ — ADQUIRIR BILHETE


(Entrada do público 30 min. antes do início da sessão c/ higienização)


Concerto ao vivo e com transmissão Live Streaming, acompanhe em direto em #TODOSemlinha.


Partilhar

“A essência da música portuguesa (da música), a sua riqueza, é essa capacidade de assimilar saber – saberes – de todas as eras e todos os quadrantes, e de os transmitir, partilhar. Porque também é assim que a memória do mundo se transmite(...). No final, uma certeza – mais do que fado, há “isto”.” – Maria Augusta Gonçalves, JL.


O programa From Baroque to Fado (que em tempos se intitulou Fado Barroco) tem-se revelado um projeto rico de emoções e ideias musicais que continua a suscitar o interesse do público. A isso não será alheio o desenvolvimento enorme da carreira, em terrenos musicais distintos, de duas vozes portuguesas de grande valor artístico: Ana Quintans e Ricardo Ribeiro. Ao juntá-las em torno de um projeto de investigação da cultura musical portuguesa em termos novos e originais, Os Músicos do Tejo criaram um encontro musical pleno de invocações.


De facto, este projeto que nasceu na Finlândia pode veicular imagens diferentes da nossa cultura musical, além de questionar, de forma coerente, algumas divisórias conceptuais que não permitem a plena fruição da nossa tradição musical, tanto imaterial como escrita e erudita.


Neste concerto procuram-se vários tipos de ligações e coerências entre as músicas que não, unicamente, as de ordem cronológica, geográfica e contextual. No que toca aos eixos principais desta viagem, dá-se a ver/ouvir um nomadismo da música modal ibérico-árabe, uma alma portuguesa em mutação no som da guitarra portuguesa e, por fim, uma vocalidade operático-napolitana-fadística com ingredientes brasileiros.



PROGRAMA



1º Capítulo – guitarra portuguesa, símbolo da música portuguesa:


• Carlos Paredes (1925-2004): Verdes anos - guitarra portuguesa solo

• A. de Silva Leite (1759-1833): Minuete (Estudo da guitarra Porto 1796) - guitarra portuguesa, cravo e viola de fado



2º Capítulo – Portugal Medieval,  raízes árabes e galaicas:


• Anónimo (século XIII): Cantiga de Santa Maria 23: Como Déus fez vinno d'agua ant'Arquetecrinno Ana Quintans, Ricardo Ribeiro e orquestra 

• Johann Sebastian Bach (1685-1750): Sinfonia da cantata Mer hahn en neue Oberkeet, BWV 212 - orquestra 

• Rabih Abou-Khalil (1957) José Régio (1901-1969): Soneto de amor - R. Ribeiro e orquestra 



3º Capítulo – Portugal Barroco:

• Francisco António de Almeida (1702-1755): Venerandum, extraído de Te Deum (ca. 1750), Ana Quintans, flauta de bisel, saltério (guitarra portuguesa) e basso 

• F. A. de  Almeida: In queste lacrime, Arsindo specchiasti, ária da serenata Il Trionfo d'Amore (1729), Ana Quintans e orquestra  

• F. A. de  Almeida: Un cor, ch’ha per costume, ária da ópera La Spinalba (1739), Ana Quintans e orquestra 



4º Capítulo – Fado puro (Ricardo Ribeiro, guitarra portuguesa e viola de fado):


• Destino Marcado - Fado Menor

poema: Fernando Farinha

música: tradicional

• Olhos Estranhos - Fado Corrido 

poema: Conde Sobral

música: traditional

• Fado do Alentejo

poema: Rosa Lobato Faria

música: Rão Kiao



5º Capítulo - Lunduns e modinhas:


• António Cláudio Pereira (fl. 1780-1820): Sinfonia em Ré – orquestra 

• José Palomino (1755-1810): Duetto de Marujo e Regateira no Entremez das Regateiras Zelozas no Theatro Nacional do Salitre  (1801) – A. Quintans, R. Ribeiro e orquestra

• Anónimo: Os efeitos da ternura (lundum) – R. Ribeiro, Marco Oliveira, cravo, viola de fado e percussão



6º Capítulo - Fado e mais além:


• Com que voz (Ana Quintans e orquestra)

poema: Luiz de Camões 

música: Alain Oulman

orquestração: Marcos Magalhães


• Romance (Ricardo Ribeiro e orquestra)

poema: Afonso Lopes Vieira

Música: Carlos Gonçalves

orquestração: Marcos Magalhães


• O Pastor (Ana Quintans e orquestra)

poema: Pedro Ayres Magalhães

música: Madredeus

orquestração: Marcos Magalhães

Contactos

JUNHO-SETEMBRO 2020

Rua da Bica do Sapato, nº 48 Ab

1100-094 Lisboa, Portugal


SEDE PERMANENTE

Estrada de Benfica, nº 400

1º E. 1500-101 Lisboa, Portugal

Redes sociais

Newsletter

Música Música Música Música Música Música Música Música Música Música Música Música
Música Música Música Música Música Música Música Música Música Música Música Música